Total de visualizações de página

domingo, 22 de agosto de 2010



O sol tímido e preguiçoso se levanta,
Uma linda borboleta azul abre as suas asas e encanta,
Sente a luz invadir o seu corpo e o calor aquecer suas asas,
E volteia, na sua dança solitária e singular,
Um espetáculo da natureza a se reverenciar.

Uma gota de orvalho despenca de uma pétala de rosa,
Atinge uma das asas da borboleta azul que cai entontecida,
Pousada desajeitada sobre uma das asas, percebe uma delas ferida,
Guerreira se levanta batendo uma das asas e a outra partida.

Triste fim da dança solitária e singular da borboleta azul
Já não pode mais enfeitar as rosas e nem delinear o céu azul
Mas sua luta continua, precisa sobreviver neste novo mundo,
O ar não é mais o seu espaço e a rosa não é mais o seu porto seguro.
Este foi o ultimo vôo da borboleta azul...



Dri Ramalho
17/05/2010

Um comentário:

  1. driii c é maravilhosamente borboleta viuuuuuuu. amooooooooooooooooooooo viu num esquece.

    ResponderExcluir