Total de visualizações de página

segunda-feira, 28 de março de 2011

segunda-feira, 7 de março de 2011


E ela era eu...

Tento em vão entender o que se passa dentro de mim, revolta, angústia, decepção, frustração...
Me olho no espelho e não me vejo mais, procuro em meus olhos e só encontro a saudade;
Saudade daquela mulher que me fazia sorrir;
Saudade daquele olhar de compreensão que ela tinha;
Saudade da euforia de viver, de cantar, de sonhar;
Uma palavra, bastava para que ela fosse valente...
Um gesto apenas, e ela pulava de cabeça numa luta contra tudo e todos em favor da felicidade...
O sol se pondo, dando adeus ao dia e as boas vindas a noite, fazia dela a mulher mais renovada e revigorada de todas a mulheres que já conheci...
Ela tinha o poder de deixar um pouco de si e de seu encanto, em tudo o que fazia e em todos que conhecia...
Amiga, companheira, carinhosa... conhecedora da hora de falar, ouvir, entender, calar...
Seu olhar sempre buscava além do que os olhos dos outros queriam mostrar, e assim, sabia a hora de ficar e quando partir...
Que saudade daquela voz que dizia: "vai dar tudo certo", certa do que dizia...
Que saudade do ímpeto, da força, do querer até poder...
Que saudade dela e de quem ela era...
Que saudade dela, E ela era Eu...